HOSPEDAGEM

Hospedagem de site é o serviço de armazenamento de um site e disponibilização constante do mesmo na internet, ou seja, o serviço de hospedagem possibilitará que seu site seja visualizado 24h por dia em todo o mundo.

Quando você faz um site e quer que outras pessoas possam vê-lo, você terá que publicar (ou upload) do seu site, através de um serviço de hospedagem de sites.

Os planos de hospedagem permitirão ainda que você utilize e-mails personalizados com seu nome e domínio (Ex: seu_nome@seu-dominio.com.br). Outros serviços podem ainda estar associados com seu plano de hospedagem, como: banco de dados, estatísticas de acesso, construtor de sites, entre diversos outros

Hospedagem Compartilhada x Hospedagem Dedicada:

  • Hospedagem Compartilhada: é um serviço onde um servidor é compartilhado entre diversos clientes ao mesmo tempo. Este é o serviço de hospedagem mais utilizado, segue abaixo as vantagens e desvantagens:
  • Vantagens:

Fácil de usar: O servidor já vem pré-configurado, e sua empresa de hospedagem vai cuidar de qualquer tipo de manutenção e atualizações de segurança para você.

  • Desvantagem:

Recursos compartilhados: Por se tratar de uma hospedagem compartilhada, você estará dividindo o mesmo servidor com outros clientes, ao invés de utilizar um servidor somente para o seu site.

  • Hospedagem Dedicada: é o serviço onde você terá um servidor inteiro e, todos os seus recursos destinados somente para o seu website.
  • Vantagens:

Flexibilidade e personalização: escolha do hardware (memória, espaço em disco, processador) exato e as especificações do sistema operacional para atender as suas necessidades.

Recursos dedicados e desempenho garantido: os clientes não compartilham seus recursos de servidor com mais ninguém.

Controle total: os clientes têm acesso root completo para seus servidores e pode configurar e ajustar sua configuração para atender às suas necessidades.

  • Desvantagem: Conhecimento técnico prévio exigido: é de responsabilidade do cliente gerenciar e configurar o cloud server.

INTERNET BANDA LARGA

O acesso banda larga modalidade residencial, é destinado ao usuário doméstico que quer comodidade em seu dia-a-dia, navegando na web, lendo emails, vendo vídeos e se divertindo em bate-papos.

Vantagens:

  • Atendimento personalizado, rápido e fácil
  • Internet de altíssima velocidade e qualidade
  • Gerenciamento e Monitoramento em tempo real
  • Dispensa o uso de linha telefônica
  • Provedor de acesso incluso
  • Suporte de atendimento 24 horas
  • Velocidade de até 10 Mega
  • SLA de até 99,2%

LINK DEDICADO / FULL DUPLEX

O que é e como funciona um link dedicado?

O link dedicado é um serviço especialmente desenvolvido para o setor corporativo, onde as empresas tem acesso a um link exclusivo para a transmissão de dados, sem a necessidade de compartilhamento deste link. Utilizando este recurso, sua empresa garante acessibilidade, estabilidade e altas taxas de transferência na medida em que possui um link próprio para o compartilhamento de dados. Através do link dedicado, a empresa é conectada diretamente a uma porta roteadora, eliminando congestionamento de redes e obtendo mais desempenho em todo o sistema.

Com o link dedicado toda a banda alocada é usada apenas por você, o tempo todo, ainda que você não a esteja utilizando no momento. Eis a razão do nome “dedicado” – o link apenas atende ao cliente que o contratou.

Com o link dedicado, o serviço que você está contratando serve como uma espécie de portal. É como se você alugasse uma entrada para a internet com determinada largura – que permite um fluxo de dados X – e você paga por essa janela de comunicação, não importando quão grande seja o volume de dados a passar por ali.

A produtividade tende a aumentar, com cada um de seus colaboradores dispondo da banda e do acesso que realmente utiliza para trabalhar e você, como empresário, acaba pagando realmente por aquilo que utiliza em sua empresa.

VANTAGENS DO LINK DEDICADO

  • Garantia de 100% da velocidade contratada
  • Possibilidade de distribuição da banda
  • Possibilidade de acesso redundante
  • Mais produtividade e velocidade com a mesma banda nominal
  • Contrato customizado, conforme suas necessidades
  • Disponibilidade de IPs fixos para configurações personalizadas

INTERLIGAÇÃO MATRIZ E FILIAL

São inúmeras as vantagens de implantar uma solução para interligar matriz e filiais da sua empresa. Uma delas pode ser o fato de a distância interromper o fluxo natural de comunicação, ou mesmo, de haver custos adicionais sem necessidade. Toda empresa necessita manter a integração de sistemas e dados, por isso, a Tropical resolveu implementar soluções nas empresas para que elas obtenham resultados mais satisfatórios.

“Expandir faz parte do sucesso de uma empresa”.

Veja as vantagens das soluções Tropicalnet:

  • Melhor gestão da empresa;
  • Otimizar e facilitar a comunicação interna;
  • Aumento da produtividade;
  • Interligar seus sistemas, banco de dados, intranet, e-mails, dentre outros;
  • Proteger os dados através de backup entre unidades;
  • Redução de custos ao interligar seu PABX e ramais;
  • Entre outros.

Quando uma empresa começa a crescer a ponto de abrir filiais e outras dependências, isso é normalmente uma boa notícia. É sinal de que os negócios estão prosperando e os resultados estão aparecendo.

Por que a conectividade entre matriz e filiais é importante?

Basicamente, uma matriz e uma filial são duas estações de trabalho que possuem uma relação de co-dependência. Ao mesmo tempo em que a filial necessita de um conjunto fixo de informações fornecidas pela matriz, a empresa original vai necessitar também monitorar o desempenho da sua filial e auxiliar da melhor maneira que pode.

Como fazer a comunicação entre matriz e filial?

A matriz e suas filiais geralmente usam a Internet, por meio de uma VPN (Rede Particular Virtual), que permite a troca de informações pela Internet de maneira segura. Basicamente, uma VPN utiliza de criptografia para proteger os dados que serão transmitidos através de tunelamento pela rede, que é um protocolo que basicamente cria um “túnel” na Internet que vai de um computador para outro e que impede que outros PCs possam ver o que passa ali por dentro.

Essa é a solução ideal para auxiliar na conectividade entre matriz e filiais e parceiros de negócios, utilizando equipamentos de última geração, com velocidades entre 1 Megabite por segundo até 10 gigabits por segundo, total privacidade e banda 100% garantida.

VPN-IP / LAN 2 LAN / MPLS

VPN é uma sigla, em inglês, para “Rede Virtual Privada” e que, como o nome diz, funciona criando uma rede de comunicações entre computadores e outros dispositivos que têm acesso restrito a quem tem as credenciais necessárias.

O que é VPN ?

Virtual Private Network” ou Rede Privada Virtual, é uma rede privada construída sobre a infra-estrutura de uma rede pública, normalment  e a Internet. Ou seja, ao invés de se utilizar links dedicados ou redes de pacotes (como Frame Relay e X.25) para conectar redes remotas, utiliza-se a infra-estrutura da Internet.

Conexões com a Internet podem ter um custo mais baixo que links dedicados, principalmente quando as distâncias são grandes, esse tem sido o motivo pelo qual, as empresas cada vez mais utilizam a infra-estrutura da Internet para conectar a rede privada.

A utilização da Internet como infra-estrutura de conexão entre hosts da rede privada é uma ótima solução em termos de custos, mas não em termos de privacidade, pois a Internet é uma rede pública, onde os dados em trânsito podem ser lidos por qualquer equipamento. Então como fica a questão da segurança e a confidencialidade das informações da empresa?

Criptografia! Essa é a resposta! Incorporando criptografia na comunicação entre hosts da rede privada de forma que, se os dados forem capturados durante a transmissão, não possam ser decifrados. Os túneis virtuais habilitam o tráfego de dados criptografados pela Internet e esses dispositivos, são capazes de entender os dados criptografados formando uma rede virtual segura sobre a rede Internet.

Os dispositivos responsáveis pelo gerenciamento da VPN devem ser capazes de garantir a privacidade, integridade, autenticidade dos dados.

Como Funciona isso?

Basicamente uma VPN, pode ser feita de duas formas:

A primeira forma é, um simples host em trânsito, conecta em um provedor Internet e através dessa conexão, estabelece um túnel com a rede remota.

A figura abaixo demonstra essa forma.

4

Na segunda forma, duas redes se interligam através de hosts com link dedicado ou discado via internet, formando assim um túnel entre as duas redes.

A figura 2 ilustra essa forma.

5

Figura 2: Conexão VPN entre duas redes interligadas.

Os protocolos utilizados no túnel virtual, são, (IPSec) Internet Protocol Security, (L2TP) Layer 2 Tunneling Protocol, (L2F) Layer 2 Forwarding e o (PPTP) Point-to-Point Tunneling Protocol. O protocolo escolhido, será o responsável pela conexão e a criptografia entre os hosts da rede privada. Eles podem ser normalmente habilitados através de um servidor Firewall ou RAS que esteja trabalhando com um deles agregado.

O MPLS (Multiprotocol Label Switching) é um protocolo de roteamento baseado em pacotes rotulados, onde cada rótulo representa um índice na tabela de roteamento do próximo roteador.

O que é MPLS?

Multiprotocol Label Switching (MPLS), protocolo desenvolvido para transporte de aplicações multimídia (voz, dados e vídeo).

Tecnologia MPLS

A importância das redes de computadores vem aumentando progressivamente com o passar dos anos. O seu crescimento, tanto em número de usuários como na variedade de aplicações que utilizam nos levam a pensar em uma plataforma multiserviços, capaz de atender as necessidades atuais dos usuários, notadamente serviços baseados em IP com largura de banda flexível

Por esse motivo, é necessário que sejam desenvolvidas formas para que as redes atendam a maioria dos usuários (considerando suas necessidades) e aplicações (considerando suas características). O Multiprotocol Label Switching (MPLS) surge, assim, como a principal tecnologia capaz de viabilizar múltiplos serviços de rede sobre uma infra-estrutura compartilhada, permitindo o aprovisionamento rápido de serviços e tornando-se um ponto de concentração para serviços novos e antigos.

Definindo MPLS

O protocolo MPLS é definido pelo IETF (Internet Engineering Task Force) e consiste em uma tecnologia de chaveamento de pacotes que proporciona o encaminhamento e a comutação eficientes de fluxos de tráfego através da rede, apresentando-se como uma solução para diminuir o processamento nos equipamentos de rede e interligar com maior eficiência redes de tecnologias distintas. O termo “Multiprotocol” significa que esta tecnologia pode ser usada sob qualquer protocolo de rede. Considerando a Internet e a importância de seus protocolos nas várias WAN’s publicas e privadas, tem-se aplicado o estudo e implementação do MPLS basicamente para redes IP.

Este protocolo disponibiliza os serviços de QoS, Engenharia de Tráfego (Traffic Engineering) e VPN para uma rede baseada em IP. Em relação a aplicações que exigem tempo real, a rede MPLS oferece a implementação de QoS que não pode ser implementada em rede IP. Com a implementação do QoS podemos diferenciar diversos tipos de tráfegos e tratá-los de forma distinta, dando prioridades às aplicações mais sensíveis (rede escalonável).

Funcionamento

Redes baseadas em IP geralmente deixam a desejar no quesito qualidade de serviço, que são características disponíveis nas redes baseadas em circuitos como ATM, com as quais as empresas estão mais acostumadas. O MPLS traz a sofisticação do protocolo orientado à conexão para o mundo IP sem conexão. É esse o segredo que torna as redes IP tão convenientes para as aplicações empresariais. Com base em avanços simples no roteamento IP básico, o MPLS proporciona melhor performance e capacidade de criação de serviços para a rede.

Em uma rede IP convencional, os pacotes de dados são roteados com base nas informações contidas em seus cabeçalhos (headers) e nas informações que cada roteador dispõe sobre o alcance e a disponibilidade dos outros roteadores da rede. Nas redes MPLS, os pacotes são rotulados assim que entram na rede, sendo encaminhados apenas com base no conteúdo desses rótulos. Capacitando os roteadores a decidir o encaminhamento mais adequado com base em tais rótulos, o MPLS evita o esquema de intenso processo de pesquisa de dados utilizado no roteamento convencional.

Em resumo, O MPLS propõe um método para gerar uma estrutura de comutação sob qualquer rede de datagramas, criando circuitos virtuais a partir das rotas organizadas pelos protocolos de roteamento da camada de rede. A informação é então processada e dividida em classes de serviço (recebe labels) e os dados encaminhados através de rotas estabelecidas anteriormente por essas classes, sendo feita apenas a comutação. O nível de enlace é preservado, sendo possível aplicar o MPLS em redes Ethernet, ATM e Frame Relay, por exemplo.

Exemplo de rede utilizando MPLS:

6

Na figura anterior, temos o funcionamento básico do protocolo MPLS, através do trajeto percorrido pelo pacote IP. Verificamos que o pacote recebe um label quando ingressa na nuvem MPLS, passa por comutadores dentro da rede da operadora, sendo que este label é retirado na saída da nuvem.

O MPLS na rede

O MPLS foi utilizado originalmente para definir a engenharia de tráfego, ou seja, para determinar o caminho a ser percorrido pelo tráfego através da rede e estabelecer os atributos de performance para diferentes classes de tráfego. O mais importante é que nas redes que disponibilizam rotas alternativas, o MPLS combina a escalabilidade e a flexibilidade do roteamento com a performance e a capacidade de gerenciamento de tráfego da comutação de camada 2 (Modelo OSI).

O MPLS pode ser utilizado para estabelecer caminhos que emulam as conexões ponto-a-ponto de camada 2, oferecendo um caminho alternativo para o encaminhamento de dados, sem o alto overhead das VPN’s BGP – algumas vezes chamadas de túneis de camada 2 ou redes virtuais privadas (VPN’s).

Dessa forma, as operadoras podem utilizar o MPLS para estabelecer circuitos virtuais ou túneis em uma rede IP possibilitando as VPN’s MPLS. Além disso, as operadoras que possuem redes IP, Frame Relay e ATM podem utilizar o MPLS para interligá-las, evitando altos gastos com upgrade de hardware, tanto para os clientes quanto para os provedores.

Resumindo

O MPLS é uma tecnologia utilizada em backbones e tem o objetivo de solucionar os problemas atuais das redes de computadores como velocidade, escalabilidade, gerenciamento de qualidade de serviço (QoS) e a necessidade de engenharia de tráfego. Por esse motivo, o MPLS é hoje reconhecido como a principal tecnologia capaz de oferecer serviços diferenciados, que atendam às diversas necessidades dos usuários de redes, desde pequenas empresas que utilizam a rede para negociar com seus clientes e fornecedores, até as grandes, e que estejam implementando uma VPN global.

LAN 2 LAN

Como funciona o serviço Lan to Lan?

Os serviços Lan to Lan e Circuitos Clear Channel da Linktel Corporate oferecem grande capacidade de interconexão de pontos. Através de nossa rede híbrida, rádio digital e óptica, nossos serviços apresentam altos níveis de confiabilidade e qualidade proporcionando à sua empresa uma comunicação de alto desempenho.

Com esses circuitos de comunicação dedicados e transparentes a protocolo, as empresas podem interligar dois pontos remotos. Criando uma poderosa rede de alta velocidade, capaz de prover serviços de comunicação de dados, voz e vídeo de forma altamente confiável e totalmente gerenciada.

Para isso, a Linktel Corporate utiliza as mais avançadas tecnologias de rede, garantindo uma rápida instalação e alta disponibilidade dos serviços.

Vantagens:

  • Interface de conexão Ethernet
  • Alto nível de disponibilidade
  • Flexibilidade na definição do endereçamento IP
  • Cobertura em todo território nacional
  • Serviços de monitoriamento e gerenciamento 24×7